.
 
Busca
26/06/2013 - Vendas de combustíveis cresceram 6,7% em 2012, diz Sindicom

Fonte: Globo.com - Economia

Resultado foi puxado pela gasolina, que teve alta de 11%.
Sindicato quer participar de projeto de desoneração para ônibus.

Lilian Quaino
Do G1, no Rio

Em 2012, as vendas de combustíveis dos associados do Sindicato Nacional de Empresas Distribuidoras de Combustiveis e Lubrificantes (Sindicom) cresceram 6,7% em relação a 2011, uma demanda bem superior ao crescimento da economia – o PIB cresceu 0,9% no período –, informou nesta terça-feira (25) o presidente do sindicato, Alisio Vaz. De 2008 a 2012 as vendas cresceram 23,5%, disse ele.
O resultado de 2012 foi puxado pela gasolina, que teve alta de 11%, graças à evolução da renda e à falta de competitividade do etanol hidratado; e pelo diesel, com expansão de 6,3%. Segundo Vaz, o crescimento da renda e sua melhor repartição entre as classes, fez aumentar o consumo da classe C de forma considerável com impactos no varejo.
"Houve um aumento no consumo de diesel para transporte rodoviário de mercadorias", explicou.
O etanol teve queda de 7,5% em suas vendas, segundo Vaz,  devido à fraca safra de cana-de-açúcar, afetada pela seca em boa parte do ano. "Isso não permitiu que o etanol chegasse aos postos com preço inferior em 30% da gasolina (patamar em que ele passa a ser mais vantajoso para o consumidor)", disse. O GNV teve queda de 7,6% no volume vendido.
Vaz informou ainda que o consumo de óleo diesel e óleo combustível foi prejudicado por conta da baixa atividade industrial em 2012 – um decrescimeno de 0,8% no PIB da indústria. Esses derivados também perderam terreno para o gás natural nas empresas e nas usinas termelétricas, maiores demandadores. Mesmo assim, apresentaram altas. O consumo de óleo combustível cresceu 10,7% pela demanda das termelétricas.
O consumo de diesel teve alta de 8,4% em relação a 2011 devido ao consumo da classe C, que influenciou ainda a demanda por querosene de aviação, com o crescimento das viagens aéreas ainda devido ao fortalecimento da renda e da queda nos preços das passagens.
As cinco distribuidoras associadas do Sindicom (Petrobras, Air BP, Ipiranga, Ale e Raízen) venderam 93,2 bilhões de litros de combustíveis em 2012 . Para Vaz, o fato mais relevante no mercado revendedor foi a expansão da oferta de diesel de baixo teor de enxofre (S50) graças ao planejamento estratégico associadas encerrram 2012 com o produto em 5.554 postos.
A participação da gasolina C na revenda foi de 47,6% no volume total de combustíveis vendidos, uma tendência de alta nicada em 2012. Segundo Vaz, de 2006 a 2009 a participação da gasolina caiu de 43% para 36,5%.
De janeiro a maio, o Sindicom registrou uma alta de 14,5% nas vendas de etanol, 4,5% de gasolina, e 5,4% de diesel, em comparação ao mesmo período de 2012.
"Esse quadro mostra a recuperação do etanol, com preço mais competitivo, aumento na produção, maior oferta e preços mais baixos. Em maio, o governo zerou o PIS Cofins para o etanol, o crescimento pode ser até maior", calculou.
O mercado total (incluindo os não associados ao Sindicom) cresceu 6,7% em 2012, em comparação a 2011;  a gasolina teve alta de 11,9%; o diesel, alta de 7%; etanol, queda de 9,2%; GNV, queda de 1,5%; óleo diesel, 7%; querosene de aviação, alta de 4,9%; e óleo combustível, alta de 7,1%.
Alisio Vaz disse que quer participar da elaboração da proposta do governo de desonoreação cpara o diesel para empresas de ônibus possa gerar.  Como a desoneração acontece na refinaria, as distribuidoras não têm como calcular quanto de diesel será destinado às empresas de ônibus e ao consumo geral. Ele teme que a desoneração possa atingir setores que não estão dentro do alvo do benefício do governo.

 

 

 

Enviar por email

Copyright ® 2007 Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo

Desenvolvido por FAN DESIGN